Parcele em até 3x sem juros|3% de desconto no boleto

Atendimento

Horário de funcionamento:

Seg à sex das 8h às 12h | 13h às 18h

Sáb das 8h às 12h

0

Qual a importância da roupa cirúrgica

O uso de roupa cirúrgica faz parte dos cuidados com a segurança dos profissionais e mesmo dos pacientes, pois tratam-se de paramentos descartáveis ou esterilizados. Todo tipo risco de contaminação ou infecção deve ser reduzido ao máximo em ambiente hospitalar e principalmente no centro cirúrgico, onde o paciente está em situação mais vulnerável.

A paramentação cirúrgica envolve uma série de cuidados que vão desde a preparação das roupas, colocação de campo cirúrgico esterilizado até a assepsia e escovação das mãos. Também é essencial que estes cuidados aconteçam com a higienização do ambiente, equipamentos, instrumentos usados no procedimento e na preparação do paciente.

Os paramentos cirúrgicos também fazem parte dos EPI´s (Equipamentos de Proteção Individual) que são obrigatórios para casos em que o profissional se expõe a riscos, pois ajuda a preservar sua integridade física. Isso acontece com os médicos e demais envolvidos em uma cirurgia, onde existe alto risco de contaminação. O uso de roupas apropriadas é importante para evitar o contato direto do profissional com o paciente e por serem estéreis, também livra o paciente do risco de infecção.

Processamento de roupas cirúrgicas

A lavagem das roupas cirúrgicas deve ser feita seguindo parâmetros estabelecidos pela Anvisa para que se evite a contaminação cruzada e garanta a esterilização correta. Em geral, os hospitais não contam com lavanderias hospitalares e preferem terceirizar este serviço para lavanderias específicas que trabalham exclusivamente com esta tipo de material. Para isso, é obrigatório que as roupas cirúrgicas e todos os outros itens que precisem ser lavados fiquem em uma sala separada até que sejam recolhido. Este cuidado minimiza o risco de contaminação.

Na lavagem, os materiais são separados conforme o tipo que procedimento que devem passar. É feita uma classificação de acordo com uso da roupa. Neste processo entram lençois, gorros, aventais, fronhas, toalhas, campo operatório e outro materiais hospitalares, mas que não sejam descartáveis, pois estes não podem ser reutilizados.