Parcele em até 3x sem juros|3% de desconto no boleto

Atendimento

Horário de funcionamento:

Seg à sex das 8h às 12h | 13h às 18h

Sáb das 8h às 12h

0

Hioscina Composta Injetável 5ml (Buscopan) - Genérico - Hypofarma

  • Descrição


A venda desse medicamento é restrita, pois nós somos distribuidores, que ao contrário de farmácias, não fazemos retenção de receitas médicas. A comercialização via CPF é permitida para profissionais que possam responder pelo uso desse medicamento, como Médicos, Médicos Veterinários e Dentistas, tendo a obrigatoriedade de enviar a cópia frente e verso de suas respectivas carteiras profissionais no nosso e-mail de contato (vendas@hospitalardistribuidora.com.br). A venda para CNPJ deverá ser enviado no mesmo e-mail de contato, as cópias do Alvará SanitárioCertificado de Regularidade Técnica e o Contrato Social.



 




 


Dipirona Sódica + Butilbrometo de Escopolamina


FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES



Solução injetável: caixa com 100 ampolas de 5 ml.



USO ADULTO E PEDIÁTRICO (crianças maiores de 1 ano)

 



COMPOSIÇÃO -



Solução Injetável

Cada ampola contém:

Dipirona sódica    2500 mg

Butilbrometo de escopolamina    20 mg

Veículo: água para injeção, bissulfito de sódio.



INFORMAÇÕES AO PACIENTE -



AÇÃO ESPERADA DO MEDICAMENTO:

é indicado no tratamento de cólicas biliares, cólicas renais, dismenorréia, tenesmos, dores espasmódicas.



                               CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO:

Conserve o produto na embalagem original, protegido do calor excessivo (temperatura acima de 400 C), da luz e da umidade.



PRAZO DE VALIDADE:

24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho). Não use medicamentos com o prazo de validade vencido.



GRAVIDEZ E LACTAÇÃO:

Durante a gravidez, principalmente nos primeiros 3 meses e nas últimas 6 semanas, somente deve ser utilizado sob orientação médica. Informe seu médico a  ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu  término.  Informe ao médico se está amamentando.



CUIDADOS DE ADMINISTRAÇÃO:

Durante o tratamento pode- se observar uma coloração avermelhada na urina, devido à excreção de um metabólito da Dipirona, porém isto não tem significado toxicológico ou clínico. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.



REAÇÕES ADVERSAS:

Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como: manifestações alérgicas em sua pele (coceira, placas vermelhas), dor de garganta ou qualquer outra anomalia em sua boca ou garganta.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.



INGESTÃO CONCOMITANTE COM OUTRAS SUBSTÂNCIAS:

Pacientes sob tratamento  não devem ingerir bebidas alcoólicas.



CONTRA- INDICAÇÕES E PRECAUÇÕES:

O produto não deve ser usado por pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou pacientes com intolerância conhecida aos derivados pirazolônicos ou com determinadas doenças metabólicas, como porfiria ou deficiência congênita de glicose- 6-fosfato desidrogenase.

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.



 



INFORMAÇÕES TÉCNICAS -



 



CARACTERÍSTICAS: -



A Escopolamina caracteriza- se por seu ponto de ação específico nos gânglios nervosos parassimpáticos dos órgãos internos. Desta forma, exerce ação espas-molítica específica sobre a musculatura lisa do trato gastrointestinal, das vias biliares e das vias urinárias excretoras. Com o emprego da Escopalamina não se assinalaram efeitos secundários sobre o sistema nervoso central, os olhos, as glândulas salivares ou o coração.O produto apresenta uma combinação de Esco- polamina (espasmolítico) com um  derivado da amino-fenazona (analgésico). Esta associação presta-se  para o tratamento de  estados  dolorosos  espasmódicos graves que, além da terapêutica espasmolítica, exigem também a administração de analgésicos.

O seu efeito inicia- se pouco após a sua administração, perdurando por 6 a 8 horas.



 



INDICAÇÕES -



Como analgésico e antiespasmódico nos estados espástico- dolorosos. Cólicas do trato gastrointestinal das vias biliares, urinárias e do aparelho genital feminino, dismenorréia.



 



CONTRA-INDICAÇÕES -



O produto não deve ser administrado a pacientes com intolerância conhecida aos derivados pirazolônicos ou com determinadas doenças metabólicas, como porfiria ou deficiência congênita de glicose- 6-fosfato desidrogenase. Como os demais espasmoanalgésicos, o produto não deve ser administrado em altas doses ou por tempo prolongado sem controle médico. É absolutamente contra-indicado nos primeiros 3 meses da gravidez e, após este período, só deve ser administrado em casos de absoluta necessidade e sob controle médico. Ainda não foi estabelecida a segurança do uso do produto durante o período de amamentação. O produto é contra-indicado em pacientes com idade avançada especialmente sensíveis aos efeitos secundários dos antimuscarínicos, como secura da boca e retenção urinária.



 



PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS -



Gerais: O uso de produtos contendo Dipirona em casos de amigdalite ou qualquer outra afecção bucofaríngea, deve merecer cuidado redobrado, pois esta afecção preexistente pode mascarar os primeiros sintomas de agranulocitose (angina agranulocítica), ocorrência rara, mas possível, quando se faz uso de produto que contenha Dipirona. A Dipirona pode agravar uma tendência ao sangramento decorrente da deficiência de protrombina. O surgimento ocasional de uma coloração avermelhada na urina deve ser atribuída à presença de um metabólito inativo da Dipirona e não tem significado clínico. Pacientes com distúrbios hematopoiéticos preexistentes (por exemplo, terapia citostática), somente deverão ser tratados com Espasmodid composto sob supervisão médica e monitoração laboratorial. Cuidados são necessários em pacientes com pressão sangüínea abaixo de 100 mmHg ou com condições circulatórias instáveis (por exemplo, deficiência circulatória incipiente associada ao infarto do miocárdio, lesões múltiplas ou choque recente). Pacientes com asma brônquica ou com infecções respiratórias crônicas, bem como pacientes com hipersensibilidade a medicamentos analgésicos e anti- reumáticos, podem desenvolver choque. Usar com cuidado em pacientes idosos, com obstrução pilórica ou intestinal, ou com a função metabólica, renal ou hepática debilitada.Interromper imediatamente o uso e consultar o médico se surgirem manifestações alérgicas na pele, como prurido e placas vermelhas, se houver dor de garganta ou qualquer outra anormalidade na boca ou na garganta.

Gravidez: A Escopolamina atravessa a barreira placentária, mas não há estudos completos em animais ou humanos. A administração parenteral da Escopolamina após o trabalho de parto pode causar depressão no SNC em neonatos e pode contribuir na hemorragia neonatal, devido à redução dos fatores de coagulação dependentes da Vitamina K. Portanto, não é indicado seu uso principalmente nos 3 primeiros meses e nas últimas 6 semanas de gravidez e fora desses períodos só deve ser administrado em casos de absoluta necessidade.

Amamentação: A Escopolamina é excretada no leite materno, possibilitando a inibição da lactação. Ainda não foi estabelecida a segurança do uso do produto durante o período de lactação.

Pediatria: Pode intensificar a ocorrência de efeitos tóxicos, aumentar a resposta em crianças com paralisia espástica ou dano cerebral, elevar a temperatura corporal em dias quentes, causar hiperexcitabilidade, e quando administrado em altas doses pode ocorrer depressão respiratória e colapso. O uso do produto não é indicado em crianças com menos de 12 meses de idade.



 



INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS -



Deve- se evitar o uso concomitante de álcool, pois pode ocorrer interação entre o álcool e o produto. No caso do tratamento concomitante com ciclosporina, pode ocorrer uma diminuição no nível de ciclosporina. Por esta razão são necessários controles regulares dos níveis sangüíneos. Produtos contendo Dipirona não devem ser administrados a pacientes sob tratamento com clorpromazina, pois pode ocorrer hipotermia grave.

O uso concomitante de medicamentos depressores do SNC com a Escopolamina podem potencializar  o efeito dos mesmos, resultando em sedação adicional. Entretanto, o uso concomitante da Escopolamina com Lorazepam parenteral não causa nenhum efeito benéfico adicional, mas quando combinados podem causar um aumento do efeito da sedação, alucinação e alteração no humor (como irritação).



 



INTERFERÊNCIA EM EXAMES LABORATORIAIS -



O uso concomitante com anticolinérgicos pode antagonizar os efeitos da pentagastrina e da histamina na avaliação da função secretora de ácido gástrico, portanto a administração de anticolinérgicos não é recomendado durante as 24 horas que precedem o teste.Cicloplegia residual e midríase seguidas do uso de Escopolamina podem afetar os resultados dos testes de neuroradiologia para neoplasia intracraniana, hematoma subdural ou aneurisma.