Parcele em até 3x sem juros|3% de desconto no boleto

Atendimento

Horário de funcionamento:

Seg à sex das 8h às 12h | 13h às 18h

Sáb das 8h às 12h

0

Tipos de pinças cirúrgicas

Instrumental é todo material utilizado na realização de uma cirurgia, assim como os diversos tipos de pinças cirúrgicas. Suas funções vão desde a retirada de pontos e exames, até tratamentos e curativos.

Pinças de tecido

A quantidade desse tipo de pinças cirúrgicas é enorme, já que cada uma serve para o tipo de tecido que foi feita. Por exemplo, na pele não se deve utilizar a pinça de dissecção com ponta delicada. Esses cuidados de usar o instrumental cirúrgico adequado deve ser tomado para que minimize o trauma no tecido.

As pinças de Adson são usadas para segurar uma parte do tecido para que outros instrumentos, como o bisturi e a tesoura, consigam trabalhar com maior facilidade. Ela pode ter vários tamanhos e sua ponta ativa pode ser de duas maneiras: a dentada e a lisa.

Já a pinça de Allis geralmente é utilizada em tecidos grosseiros ou para a fixação da musculatura e não devem ser utilizadas na pele. Além disso, também são usadas em tecidos que irão sofrer a exérese, ou seja, que serão retirados do organismo.

Com a face interna da sua parte prensora totalmente ranhurada no sentido transversal, a pinça Kocher se diferencia das outras por ter “dente de rato” na sua extremidade. Isso faz com que sua capacidade de prender os tecidos seja muito maior, porém aumenta o trauma causado. Possui nas formas retas e curvas, e em diversos tamanhos.

Pinças hemostáticas traumáticas

As pinças hemostáticas são instrumentos prensores com travas para realizarem uma hemostasia temporária. Esse procedimento é feito na extremidade do vaso até que a hemostasia seja feita definitivamente e deve ser pinçado apenas o vaso, com o mínimo de tecido adjacente possível.

Para diferenciar os instrumentos cirúrgicos uns dos outros, é preciso observar o seu desenho e as ranhuras na parte interna dos seus ramos prensores. As pinças hemostáticas possuem o nome dos seus criadores. Mesmo sendo muito semelhantes, elas se diferem nos pequenos detalhes. As mais utilizadas na rotina hospitalar são:

Pinça de Crile

Essa pinça possui um tamanho que varia entre 14 cm e 16 cm, tanto nas versões retas ou curvas. Suas ranhuras são na transversal em toda sua parte prensora, fazendo com que também seja utilizada lateralmente no pinçamento de pedículos. Outra vantagem de suas ranhuras é o fato dela não deslizar e fixar-se bem às estruturas que compõem o pedículo.

Pinça de Kelly

Muito parecida com a pinça de Crile, a pinça de Kelly possui apenas 2/3 da sua extensão ranhurada, podendo variar conforme o fabricante. Seu tamanho também varia de 14 cm a 16 cm nas suas versões retas e curvas.

Pinça de Halstead

Muito utilizada em pequenas cirurgias, a pinça de Halstead é pequena e com ramos prensores delicados e com maior precisão, servindo muito bem para o pinçamento de pequenos vasos. Seu tamanho é de geralmente 12 cm, mas possui uma variante que possui entre 8 cm e 10 cm, todas com suas versões retas ou curvas.

Pinças hemostáticas não traumáticas

Já este segundo tipo de pinça serve para ocluir a circulação de grandes vasos sanguíneos. O vaso deve ser pinçado o suficiente para minimizar o trauma vascular através da oclusão do fluxo de sangue.

Pinça de Mixter

Tem uma maior curvatura em sua ponta de extrema utilidade no auxílio da dissecção de vasos e para passar fios para ligadura em torno deles. Por conta disso, é usada para trabalhar pedículos hepáticos, renais e pulmonares.

Onde encontrar esses tipos de pinças cirúrgicas?

Na hora de executar uma cirurgia, a precisão e a qualidade dos materiais devem ser prioridade. Por isso, confie em quem possui anos de experiência. A Hospitalar Distribuidora possui mais de 23 anos de mercado, seja vendendo produtos médicos em sua página ou material cirúrgico em seu site. Garanta produtos de confiança!