Parcele em até 3x sem juros|3% de desconto no boleto

Atendimento

Horário de funcionamento:

Seg à sex das 8h às 12h | 13h às 18h

Sáb das 8h às 12h

0

Qual a diferença entre sondas hospitalares, drenos e cateteres?

Sondas hospitalares são definidas como tubos que são introduzidos em algum canal do organismo ou cavidade. Usada para fins propedêuticos, sendo que, por meio das sondas pode-se encontrar algum corpo estranho ou outro tipo de situação mórbida. Esse material médico pode ser fabricado em borracha ou plástico, é flexível, atóxico e possui vários tamanhos, de acordo com a necessidade.

Buscando em uma distribuidora de produtos hospitalares, você poderá encontrar facilmente alguns tipos de sondas hospitalares:

  • Sonda uretral — a sonda uretral é utilizada para alívio da bexiga em pacientes incapazes de urinar; com retenção urinária, por exemplo. O material médico é usado, inclusive, para diagnosticar problemas no trato urinário.
  • Sonda nasoenteral — já a sonda nasoenteral é introduzida da narina até o intestino. Tem como função apenas a alimentação do paciente.
  • Sonda gástrica — usada em diferentes casos, a sonda gástrica aspira resíduos gástricos. Evita hemorragias, distensões abdominais, mantém o controle de medicamentos e coleta de material para exame.

O que é dreno?

Dreno é um tubo cirúrgico utilizado para a retirada de pus, sangue ou outros fluidos de uma ferida, permitindo que o líquido possa escapar de uma cavidade corporal específica. Cada dreno cirúrgico implica em um tipo específico de colocação e controle. Abaixo, um pouco sobre os drenos mais comuns.

  • O dreno de sucção é composto por um sistema de drenagem para o pós-operatório. Forjado em polietileno, tem resistência para uma sucção contínua e suave.
  • Dreno de Penrose, de borracha, tipo látex. Utilizado em em cirurgias que possibilitam o acúmulo de líquidos infectados ou não, também usado no pós-operatório.

Cuidados de enfermagem com o dreno de tórax:

  • Lavar as mãos, secá-las e usar álcool 70% sempre que manipular o dreno. Clampear o dreno para que não haja entrada de ar, ao término da manipulação soltar o clampe.
  • Manter o selo-d'água e trocar a cada 12-24 horas. Posicioná-lo no piso, com suporte adequado, e nunca elevá-lo acima do tórax sem que esteja fechado.
  • Verificar a oscilação na coluna líquida: deve subir na inspiração e descer na expiração. Caso não exista movimento espontâneo pode haver obstrução do tubo.
  • Atentar no risco de vazamentos e /ou risco de desconexão.
  • Manter a cabeceira de leito relativamente elevada, para facilitar a drenagem.
  • Inspeção e troca do curativo diariamente.

Cateter intravenoso periférico, o que é?

Cateter intravenoso periférico é utilizado em acesso venoso periférico. Indicado para terapia infusional intravenosa periférica de curta permanência. Age como administrador de soluções, medicamentos hemoderivados, nutrição parenteral ou retirada de fluidos do sistema venoso periférico.

Cateter e scalp são iguais?

Em geral, scalps podem ser considerados cateteres que ficam por menos tempo no acesso venoso do paciente. Popularmente conhecidos como “butterfly”, o equipamento médico possui uma agulha acoplada a uma mangueira, conectando-se a uma seringa que administra a medicação.

Com o avanço da tecnologia, surgiu o cateter: evita vazamentos, aumenta a mobilidade e diminui a dor do paciente.

Encontrou o material médico ideal? Aproveite que a Hospitalar Distribuidora oferece o melhor pra você!