Parcele em até 3x sem juros|3% de desconto no boleto

Atendimento

Horário de funcionamento:

Seg à sex das 8h às 12h | 13h às 18h

Sáb das 8h às 12h

0

Coleta de sangue a vácuo: quais materiais usar?

Certamente você já deve ter feito exame de sangue em algum momento da vida. A indicação é que se faça exames periódicos uma vez por ano. O sangue circula por todo o corpo e atua como meio de obtenção de oxigênio e nutrientes pelos tecidos. Por essa razão o estado do sangue é afetado por muitas doenças — e é aí que entram os exames.

Antigamente, a coleta de sangue era feita por seringa e agulha. Com a chegada da técnica de coleta de sangue a vácuo, a primeira opção se tornou um tanto obsoleta. Nessa técnica, usa-se uma agulha bipolar que é adaptada em um suporte para auxiliar na manipulação, para que assim aconteça uma punção venosa correta.

O procedimento ocorre da seguinte maneira: a agulha é inserida na veia do paciente e, logo depois, o tubo a vácuo é colocado no suporte e pressionado para frente, e a ponta traseira da agulha fura a rolha e o sangue é puxado para o tubo.

As vantagens desse tipo de coleta de sangue, denominada também como “sistema fechado”, é a possibilidade de colher diversos tubos rapidamente, com segurança e usando apenas uma punção. Assim o paciente não precisa ser furado várias vezes.

A qualidade do sangue nesse processo também é diferente. A quantidade de anticoagulante é proporcional ao volume do sangue, resultando em uma amostra de qualidade que vai para a análise. A facilidade também traz maiores responsabilidades, como maior cuidado na hora de manipular o material biológico do paciente e reencapar a agulha, e maior atenção e na transferência do sangue para os tubos.

No sistema anterior de coleta de sangue com seringa e agulha, chamado também de “sistema aberto”, havia o comprometimento da qualidade da amostra obtida por conta do erro da proporção correta de sangue a ser retirada. Também corria-se o risco de acidente com materiais perfurocortantes, formação de hemólise, microcoágulos e fibrina, sem contar a situação desagradável de se fazer novas coletas, causando transtornos ao paciente.

Quais os materiais para coleta de sangue a vácuo?

O material hospitalar para coleta de sangue a vácuo é composto por um conjunto os tubos, adaptadores e agulhas. Deve ser descartável e estar obrigatoriamente lacrado. Em nosso portfólio, possuímos agulha para coleta de sangue e tubos para coleta de sangue com e sem ativador de coagulantes. Por exemplo, os tubos Vacutainer contêm o EDTA K2 jateado na parede interna do tubo e são aprovados pelo FDA para serem usado em bancos de sangue. O EDTA K2 é o anticoagulante recomendado pela CLS (Clinical and Laboratory Standards Institute) e pelo ISCH (Internacional Council For Standardiozation in Hematology) para hematologia por ser o melhor anticoagulante para preservar a morfologia celular.

A agulha para coleta de sangue descartável da mesma marca possui medidas de 25x7 ou 25x8, sendo a primeira indicada para uso pediátrico/geriátrico. Ambas são siliconizadas e têm o bisel trifacetado com corte a laser — para um melhor deslizamento da agulha na veia — e apresentam medidas recomendadas para a obtenção de amostras de qualidade. Vale salientar que todo o procedimento deve ser feito com luvas, álcool 70% e etiquetas de identificação do paciente.