Parcele em até 3x sem juros|3% de desconto no boleto

Atendimento

Horário de funcionamento:

Seg à sex das 8h às 12h | 13h às 18h

Sáb das 8h às 12h

0

Xylestesin 5% Pesada C/50 Ampolas 2ml (Lidocaína/Xylocaína) - Cristália

  • Descrição


A venda desse medicamento é restrita, pois nós somos distribuidores, que ao contrário de farmácias, não fazemos retenção de receitas médicas. A comercialização via CPF é permitida para profissionais que possam responder pelo uso desse medicamento, como Médicos, Médicos Veterinários e Dentistas, tendo a obrigatoriedade de enviar a cópia frente e verso de suas respectivas carteiras profissionais no nosso e-mail de contato (vendas@hospitalardistribuidora.com.br). A venda para CNPJ deverá ser enviado no mesmo e-mail de contato, as cópias do Alvará SanitárioCertificado de Regularidade Técnica e o Contrato Social.



 



XYLESTESIN 5% PESADA- 50etj. 2ml(SP):



Xylestesin®



Cloridrato de Lidocaína + Glicose

5 % - Pesada

Para raquianestesia hiperbárica



 



FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES - XYLESTESIN



Solução Injetável 2 ml:Caixa com 50 ampolas de 2 ml em estojos Sterile Pack

USO PEDIÁTRICO OU ADULTO



 



COMPOSIÇÃO: - XYLESTESIN



Cada 1 ml de Solução Injetável contém:

Cloridrato de Lidocaína (DCB 0739.02- 2) .................... 50 mg

Glicose anidra (DCB 0627.01- 1) .................... 75 mg

Água para Injetáveis qsp .................... 1 ml

* Contém Hidróxido de Sódio qsp pH



 



INFORMAÇÃO TÉCNICA - XYLESTESIN



OS ANESTÉSICOS LOCAIS PARA USO ESPINHAL SOMENTE DEVERÃO SER ADMINISTRADOS POR PROFISSIONAIS EXPERIENTES NO DIAGNÓSTICO E CONTROLE DA TOXICIDADE DOSE- DEPENDENTE E DE OUTRAS EMERGÊNCIAS AGUDAS QUE POSSAM SURGIR DO TIPO DE BLOQUEIO UTILIZADO, E SOMENTE DEPOIS DE SE ASSEGURAR A DISPONIBILIDADE IMEDIATA DE OXIGÊNIO, OUTRAS DROGAS PARA RESSUSCITAÇÃO, EQUIPAMENTO DE RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR E DE PESSOAL TREINADO NECESSÁRIO PARA TRATAMENTO E CONTROLE DAS REAÇÕES TÓXICAS E EMERGÊNCIAS RELACIONADAS (VER TAMBÉM REAÇÕES ADVERSAS, PRECAUÇÕES E SUPERDOSAGEM).A FALTA OU A DEMORA NO ATENDIMENTO DA TOXICIDADE DOSE- RELACIONADA DA DROGA E DA HIPOVENTILAÇÃO, SEJA QUAL FOR O MOTIVO E/OU ALTERAÇÕES NA SENSIBILIDADE, PODERÁ LEVAR AO DESENVOLVIMENTO DE ACIDOSE, PARADA CARDÍACA E POSSÍVEL ÓBITO.

Quando apropriado, os pacientes devem ser informados da possibilidade de perda temporária da sensação e atividade motora na metade inferior do corpo, após administração da anestesia espinhal.

Também quando apropriado o médico deverá discutir com o paciente outras informações como as reações adversas da lidocaína hiperbárica.

A solução injetável de Xylestesin® 5% pesada contém o anestésico local Cloridrato de Lidocaína associado à Glicose 7,5% com indicação para o bloqueio subaracnóideo (anestesia espinhal). A solução de Xylestesin® 5% pesada não contém conservante.

O prazo de validade do produto é de 18 meses. Não utilize medicamento vencido.

Conservar o produto em temperatura ambiente controlada, entre 15 e 25oC, protegido da luz. Evitar o congelamento.



 



DESCRIÇÃO: - XYLESTESIN



O Cloridrato de Lidocaína é um anestésico local do tipo amida, quimicamente designado como monocloridrato de 2- (dietilamino)-N-(2,6-dimetilfenil)-acetamida monoidratado. É um pó branco, muito

solúvel em água. A Glicose é designada como D- glicopiranose.

Xylestesin® 5% Pesada é uma solução estéril e apirogênica, hiperbárica. O pH dessa solução é ajustado entre 6,0 e 7,0. A densidade específica do produto está entre 1,030 e 1,035.



 



FARMACOLOGIA CLÍNICA - XYLESTESIN



Mecanismo de Ação:- A Lidocaína estabiliza a membrana neuronal por inibição dos fluxos iônicos necessários para o início e condução dos impulsos efetuando deste modo a ação anestésica local. Hemodinâmica:- Níveis sangüíneos excessivos podem causar mudanças no débito cardíaco, na resistência periférica total e na pressão arterial. Com o bloqueio central neural estas alterações podem ser atribuíveis ao bloqueio das fibras autônomas, a um efeito depressivo direto do agente anestésico local nos vários componentes do sistema cardiovascular.

 



6 Sistema cardiovascular: O sistema cardiovascular ou sistema circulatório sanguíneo é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.


O efeito produzido é uma hipotensão moderada, quando as doses recomendadas não são excedidas.


 



FARMACOCINÉTICA E METABOLISMO: - XYLESTESIN



As informações procedentes de diversas formulações, concentrações e usos revelam que a Lidocaína é completamente absorvida após administração parenteral, sendo que o índice de absorção depende de Bvários fatores tais como, local da administração e a presença ou não de um agente vasoconstritor.

Com exceção da administração intravascular, os mais altos níveis sangüíneos obtidos foram após bloqueio nervoso intercostal e os menores foram após administração subcutânea.

A ligação plasmática da Lidocaína depende da concentração da droga e a fração ligada diminui com o aumento da concentração. Em concentrações de 1 a 4 mg de base livre por ml, 60 a 80 % da Lidocaína ligam- se às proteínas. A ligação também depende da concentração plasmática da alfa-1-ácido glicoproteína. A Lidocaína atravessa as barreiras cerebral e placentária, possivelmente por difusão passiva.

A Lidocaína é rapidamente metabolizada pelo fígado.

 



10 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.


 


11 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.


 


A biotransformação inclui a N- desalquilação oxidativa, hidroxilação do anel, clivagem da ligação amida e conjugação. A N-desalquilação, um grau maior de biotransformação, produz os metabólitos monoetilglicinaxilidida e glicinaxilidida. As ações farmacológica e toxicológica desses metabólitos são similares, mas menos potentes do aqueles da Lidocaína.

Aproximadamente 90% da Lidocaína administrada é excretada na forma de vários metabólitos e menos que 10% é excretada inalterada. O metabólito primário da urina é um conjugado de 4- hidroxi-2,6-dimetilanilina.

A meia- vida de eliminação da Lidocaína após injeção intravenosa em bolus ocorre caracteristicamente entre 1,5 a 2 horas. Justamente pelo seu rápido índice de metabolização, qualquer condição que afete a função do fígado.

 



10 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.


O fígado poderá alterar a cinética da Lidocaína. A meia-vida poderá ser prolongada em dobro, ou mais, em pacientes com disfunção hepática. As disfunções renais não afetam a cinética da Lidocaína porém podem aumentar o acúmulo de metabólitos.


Os fatores como acidose e o uso de estimulantes e depressivos do SNC afetam os níveis de Lidocaína no SNC, necessários para produzir claros efeitos sistêmicos. As manifestações adversas tornam- se aparentes com o aumento dos níveis plasmáticos venosos acima de 6 mg de base livre por ml. Em animais (macaco rhesus) os níveis sangüíneos arteriais de 18 a 21 mg/ml demonstram o início para a atividade convulsiva.

INÍCIO E DURAÇÃO DA ANESTESIA:

O início da ação é rápido. A duração da anestesia perineal proporcionada por 1 ml (50 mg) de Xylestesin® 5% Pesada atinge em média 100 minutos, com um estado de analgesia prolongando- se por um período de 40 minutos. A duração da anestesia cirúrgica proporcionada por 1,5 a 2 ml (75 a 100 mg) do produto é de aproximadamente duas horas.



 



INDICAÇÕES: - XYLESTESIN



Xylestesin® 5% Pesada está indicada na produção de bloqueio subaracnóideo (anestesia espinhal).



 



CONTRAINDICAÇÕES - XYLESTESIN



A Lidocaína está contraindicada em pacientes com conhecida hipersensibilidade aos anestésicos locais do tipo amida ou aos componentes da fórmula.As seguintes condições impedem a aplicação de anestesia espinhal:

_ Hemorragia grave