Parcele em até 3x sem juros|3% de desconto no boleto

Atendimento

Horário de funcionamento:

Seg à sex das 8h às 12h | 13h às 18h

Sáb das 8h às 12h

0

Vancomicina 500mg Injetável (Vanclomin) - Novafarma

  • Descrição


A venda desse medicamento é restrita, pois nós somos distribuidores, que ao contrário de farmácias, não fazemos retenção de receitas médicas. A comercialização via CPF é permitida para profissionais que possam responder pelo uso desse medicamento, como Médicos, Médicos Veterinários e Dentistas, tendo a obrigatoriedade de enviar a cópia frente e verso de suas respectivas carteiras profissionais no nosso e-mail de contato (vendas@hospitalardistribuidora.com.br). A venda para CNPJ deverá ser enviado no mesmo e-mail de contato, as cópias do Alvará SanitárioCertificado de Regularidade Técnica e o Contrato Social.



 



VANCOMICINA 500 mg



- Composição

cada frasco-ampola contém: cloridrato devancomicina equivalente a 500 mg de vancomicina base. Cada ampola de diluente contém: 10 ml de água para injeção.



- Posologia e Administração

adultos: a dose intravenosa usual diária é de 2000 mg divididos em 500 mg a cada 6 horas ou 1000 mg a cada 12 horas. Crianças: a dose intravenosa usual é de 10 mg/kg a cada 6 horas. Recém-nascidos e lactentes: uma dose inicial de 15 mg/kg, seguida de 10 mg/kg a cada 12 horas na primeira semana de vida e a cada 8 horas até 1 mês de idade. Pacientes com insuficiência renal e idosos: uma redução na dose acima pode ser necessária. Para preparação da diluição inicial por via intravenosa adicionar 10 ml de água para injeção ao frasco de 500 mg. Para infusão intravenosa a solução resultante (500 mg/10 ml) deve-se diluir de novo em 100 a 200 ml de soluções como: soro glicosado a 5%, soro fisiológico (cloreto de sódio a 0,9%); glicose a 5% e cloreto de sódio a 0,9%; lactato de Ringer; lactato de Ringer e glicose a 5%; acetato de Ringer. As doses administradas por infusão intravenosa intermitente deve ser por um período de pelo menos 60 minutos. Administração oral: a Vancomicina administrada por via oral é usada no tratamento da colite pseudomembranosa causada por Clostridium difficile e enterocolite estafilocócica, relacionadas com o uso de antibióticos. A Vancomicina por via oral não é eficaz para outros tipos de infecções. Adultos: a dose usual diária é de 500 mg a 2 g, administrada em 3 ou 4 vezes por 7 a 10 dias. Crianças: dose total diária é de 40 mg/kg divididos em 3 ou 4 vezes por 7 e 10 dias. A dose total diária não deve exceder a 2 g. A dose apropriada (500 mg) pode ser diluída em 30 ml de água e dada ao paciente para beber. Pode ser adicionado xarope comum aromatizado para melhorar o gosto ou administrar por tubo nasogástrico. - Superdosagem: a Vancomicina é muito pouco removida por diálise. No tratamento da superdosagem, considerar a possibilidade de múltiplas drogas, interação entre drogas e cinéticas diferentes no paciente.



- Precauções

recomenda-se verificar cuidadosamente a sensibilidade do paciente a esse antibiótico. Não deve ser usada durante a gravidez e durante a lactação, a menos que seja absolutamente necessário. O uso prolongado pode resultar no crescimento de microorganismos resistentes. Deve ser feita uma monitorização contínua da função renal em pacientes com insuficiência renal ou que estejam recebendo terapia concomitante com aminoglicosídeos. Testes seriados da função auditiva podem ser úteis para minimizar o risco de ototoxicidade. Pacientes que estejam em tratamento prolongado ou que estejam recebendo concomitantemente drogas neutropênicas devem ter monitorização periódica na contagem de leucócitos. Em pacientes geriátricos a diminuição natural na filtração glomerular pode levar a uma elevação da concentração sérica se a dose não for ajustada. - Interações medicamentosas: a administração concomitante com anestésicos tem sido associada com eritema e rubor tipo histamina e reações anafilactóides. O uso simultâneo e/ou seqüencial de outras drogas pode aumentar a possibilidade de se produzir ototoxicidade e/ou nefrotoxicidade, tais drogas são à anfotericina B, aminoglicosídeos, bacitracina, polimixina B, cisplatina e furosemida. Nesses casos deve-se requerer cuidadosa monitorização.



- Reações adversas

entre as reações de hipersensibilidade que têm sido produzidas pela Vancomicina estão as erupções cutâneas maculares e anafilaxia. Flebite e dor no local da injeção venosa são relativamente pouco comuns. Podem ocorrer calafrios e febre, bem como uma reação semelhante ao estado de choque, durante o curso da infusão venosa. As reações secundárias adversas mais significativas envolvem ototoxicidade e nefrotoxicidade.



- Contra-Indicações

em pacientes com hipersensibilidade à droga.



- Indicações

tratamento de infecções ósseas (incluindo osteomielite), septicemias e endocardite bacteriana causada por espécies de estafilococos incluindo cepas resistentes à meticilina. Indicado em pacientes alérgicos à penicilina, ou em pacientes que não responderam ao tratamento com penicilinas ou cefalosporinas. A Vancomicina tem sido usada com sucesso em combinação com rifampicina e aminoglicosídeos. Para tratamento da colite pseudomembranosa causada por Clostridium difficile secundária ao uso de antibiótico, pode-se administrar por via oral a forma parenteral de Vancomicina.



- Apresentação

pó liofilizado 500 mg. Caixa com 20 frascos-ampola + diluente de 10 ml.