Seja bem vindo ! Faça seu login ou cadastre-se
Você esta em: MEDICAMENTOSG › GENTAMICINA 80 MG INJETÁVEL DE 2ML (GARAMICINA)- HIPOLABOR
foto social
Foto principal de GENTAMICINA 80 MG INJETÁVEL DE 2ML (GARAMICINA)- HIPOLABOR

GENTAMICINA 80 MG INJETÁVEL DE 2ML (GARAMICINA)- HIPOLABOR

Gentamicina 80 mg., injetável, ampola 2 ml. (*)Marca sujeita a disponibilidade no momento da compra.

Disponibilidade: IMEDIATA
Quant. disponível: 104 Un
Peso por unidade: 0.01 Kg
Por R$2,64
pague R$2,56 com desconto

pagamento e condições
Quant.
a comprar
  
  • caso tenha alguma dúvidas sobre o produto GENTAMICINA 80 MG INJETÁVEL DE 2ML (GARAMICINA)- HIPOLABOR
  • indique o produto GENTAMICINA 80 MG INJETÁVEL DE 2ML (GARAMICINA)- HIPOLABOR

 AÇÃO TERAPÊUTICA

A Gentamicina é um antibiótico bactericida1 da família dos aminoglicosídeos que age por inibição normal na síntese proteica de microorganismos suscetíveis: Escherichia coli, Proteus (indol- positivo e indol-negativo), Pseudomonas aeruginosa, espécies de Klebsiella - Enterobacter - Serratia, espécies de Citrobacter e espécies de Staphylococcus, Salmonella e Shigella.

SUBSTÂNCIA - GENTAMICINA

Sulfato de Gentamicina

CONTRA-INDICAÇÕES - GENTAMICINA

Contra- indicado em pacientes com história de hipersensibilidade à Gentamicina. Gentamicina não deve ser administrada combinada com outras substâncias potencialmente oto ou nefrotóxicas. Somente poderá ser administrada em pacientes grávidas com estrita recomendação do médico.

INDICAÇÕES - GENTAMICINA

Antibiótico

APRESENTAÇÃO - GENTAMICINA

Gentamicina 80 mg (40 mg/ml), caixa com 50 ampolas de 2 ml.

COMPOSIÇÃO - GENTAMICINA

Gentamicina base .................... 80 mg
Veículo q.s.p. .................... 1 ampola de 2 ml

POSOLOGIA E ADMINISTRAÇÃO - GENTAMICINA

Gentamicina injetável pode ser  administrada por via intramuscular ou intravenosa. Deve- se saber o peso corporal do paciente, antes de iniciar o tratamento, para calcular a dose correta. A dose do aminoglicosídeo em pacientes obesos, deverá basear-se na massa corporal magra estimada.É recomendável que, periodicamente, seja controlada a concentração sérica de Gentamicina durante o tratamento para evitar níveis excessivos da droga. Por exemplo, o pico de concentração (30 à 60 minutos após a administração intramuscular) é esperado na faixa de 4 à 6 mcg/ml (3 a 5 mcg/ml em crianças). Deve- se evitar níveis séricos acima de 12 mcg/ml. A determinação de uma concentração sérica adequada em um paciente deve levar em conta a sensibilidade do germe2 causal, a gravidade da infecção3, e o estado imunológico do paciente.
A duração normal de um tratamento é de 7 a 10 dias. Em infecções mais graves recomenda- se um tratamento mais prolongado. Nestes casos, recomenda-se monitorar as funções renal4, auditiva e vestibular, uma vez que os efeitos colaterais podem surgir com maior freqüência, principalmente em tratamentos acima de 10 dias. As doses devem ser reduzidas se a evolução clínica assim indicar.
    

Para pacientes5 com função renal4 normal e infecções graves, a dose indicada é de 3mg/Kg/dia, divididas em três (3) dose iguais a cada 8 horas ou em duas (2) doses iguais a cada 12 horas. Uma dose simplificada é de 80 mg três (3) vezes ao dia ou 120 mg duas (2) vezes ao dia para pacientes5 com mais de 60 Kg. Uma dose de 60 mg três (3) vezes ao dia pode ser utilizada para pacientes5 com menos de 60 Kg. Em patologias com risco de vida, pode- se utilizar doses de até 5mg/Kg/dia, divididas em três ou quatro tomadas. Reduzir para 3mg/Kg/dia tão logo possível.
Para infecções menos graves, sistêmicas ou urinárias, quando o germe2 é provavelmente muito sensível, pode- se considerar a dose de 2 mg/Kg/dia. Esta dose deve ser reajustada para 3 mg/Kg/dia, caso não haja melhora rápida.
Nos pacientes com infecção3 sistêmica grave e insuficiência renal6, é aconselhável a administração do antibiótico com mais freqüência, mas em doses menores. Nestes indivíduos, deve- se determinar a concentração sérica de Gentamicina para obter a concentração adequada, mas não excessiva. Após a dose inicial, pode-se fazer um cálculo7 aproximado para determinar a dose reduzida, que poderá ser administrada a intervalos de 8 horas, dividindo a dose normalmente recomendada pelo nível de creatinina8 no soro9, ou calcular o intervalo em horas através da multiplicação da creatinina8 sérica (mg/100ml) por 8. Por exemplo, um paciente pesando 60 Kg com creatinina8 sérica 2,0 mg/100ml poderá ser administrado 60 mg (1 mg/Kg) à cada 16 horas (2 x 8). Esta relação pode ser usada, também, para recém nascidos e crianças com insuficiência renal6.

INFECÇÕES URINÁRIAS (I.M. ou I.V.) :
Adultos com menos de 60 Kg de peso : 3 mg/Kg/dia ou 1,5 mg/Kg/cada doze horas.
Adultos com 60 Kg ou mais : 160 mg/dia ou 80 mg cada doze horas.
Dose limite para adultos : até 8 mg/Kg/dia

DOSES PEDIÁTRICAS (I.M. ou I.V.) :
Prematuros e neonatos10 até uma semana de idade : 2,5 mg/Kg/cada doze horas, durante 7 à 10 dias.
Neonatos10 acima de uma semana e lactentes11 : 2,5 mg/Kg/cada oito horas, durante 7 à 10 dias.
Crianças : de 2,0 a 2,5 mg/Kg, durante 7 à 10 dias.

PRECAUÇÕES - GENTAMICINA

GRAVIDEZ12 : Todos os aminoglicosídeos atravessam a placenta, dando lugar à concentrações significativas no sangue13 do cordão umbilical e/ou no líquido amniótico. Os aminoglicosídeos também podem ser nefrotóxicos para o feto humano. A Gentamicina pertence à categoria C, segundo o FDA.

LACTENTES11 : Devido à possibilidade de reações adversas graves em lactantes14, associada à administração de aminoglicosídeos, deve- se considerar a interrupção do aleitamento ou do tratamento, tendo em vista a importância do fármaco para o benefício da mãe.

PEDIATRIA : Deve- se utilizar Gentamicina com precaução nos prematuros e neonatos10 devido a imaturidade renal4 destes pacientes, que dá lugar a prolongação da vida média.

GERIATRIA : Devido ao fato de que pacientes geriátricos apresentam a função renal4 diminuída, existe um risco maior de produzir- se toxicidade induzida por aminoglicosídeos, nestes pacientes é muito importante a monitoração da função renal4 durante o tratamento. Os pacientes geriátricos podem necessitar doses diárias menores, de acordo com sua idade, função renal4 e peso. A perda de audição pode produzir-se também em pacientes com uma função renal4 normal.
GERAL : Pacientes tratados com aminoglicosídeos deverão estar sob observação clínica, devido à possível toxicidade associada ao seu uso. Se recomenda vigilância das funções renal4 e do oitavo par craniano, principalmente em pacientes com insuficiência renal6 prévia. Os sinais15 de ototoxicidade16 ou nefrotoxicidade requerem modificação de dose ou suspensão do antibiótico.
Na disfunção renal4 pode haver maior risco de ototoxicidade16, devido a vagarosa excreção de Gentamicina, resultando no aumento da concentração no soro9. Em tais pacientes, a freqüência  da administração deverá ser reduzida, ou as doses adaptadas às condições renais do paciente.
Nos pacientes com queimaduras externas, alteração na farmacocinética podem dar lugar à diminuição das concentrações séricas dos aminoglicosídeos. Nestes pacientes tratados com Gentamicina, deverão ser determinadas as concentrações séricas como base para o ajuste da dose.
Antibióticos aminoglicosídeos devem ser usados com precaução em pacientes com distúrbios neuromusculares, como miastenia17 grave, doença de Parkinson18 ou botulismo19 infantil, uma vez que, teoricamente, estes agentes podem agravar a debilidade muscular devido à seus potentes efeitos do tipo curare sobre a junção neuromuscular.
O tratamento com Gentamicina pode resultar na proliferação de germes não susceptíveis. Caso isto ocorra, iniciar o tratamento apropriado.
Gentamicina injetável contém bissulfito de sódio, um composto que pode causar reações alérgicas, inclusive anafiláticas, ou crises de asma20 de menor gravidade.
Os pacientes em tratamento com Gentamicina devem ser mantidos bem hidratados.

REAÇÕES ADVERSAS - GENTAMICINA

NEFROTOXICIDADE - Ocorre com mais freqüência em pacientes com história de insuficiência renal6 e em pacientes tratados por longos períodos ou com dosagens mais altas que as  recomendadas.
NEUROTOXICIDADE - Efeitos adversos sobre o ramo vestibular e/ou auditivo do oitavo par craniano tem sido reportados, principalmente em pacientes com alteração na função renal4 ou em pacientes que fazem uso de altas doses e/ou que se submetem a tratamentos prolongados, e podem ser irreversíveis. Estes efeitos incluem tonteira, zumbido, sensação de ruído nos ouvidos e perda de audição, este último pode ser irreversível, e inicia-se com diminuição de audição aos sons de alta tonalidade.Também têm sido reportados casos de parestesias21, espasmos musculares, convulsões e uma síndrome22 similar à miastenia17 gravis.

Outros efeitos secundários possivelmente relacionados à Gentamicina incluem : depressão respiratória, confusão, depressão, distúrbios visuais, diminuição do apetite, perda de peso, hipotensão23 e hipertensão24, errupções cutâneas, prurido25, urticária26, ardor generalizado, edema27 laríngeo, reações anafiláticas28, febre29, cefaléia30, náusea31, vômito32, aumento da salivação, estomatite33, púrpura, pseudotumor cerebral, síndrome22 orgânica cerebral aguda, fibrose pulmonar, alopécia34, dores articulares, hepatomegalia35 transitória e esplenomegalia36.

 
PRODUTOS VISITADOS CATEGORIAS VISITADAS PALAVRAS PESQUISADAS